As notícias mais relevantes desta sábado para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
Se você não consegue ler esta mensagem, acesse https://manchetes.socioambiental.org/ para visualizar em seu navegador
10/06/2021 | Ano 21
As notícias mais relevantes desta sábado para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
DIRETO DO ISA
Terra Yanomami completa um mês sob ataques de garimpeiros e sem proteção do Estado
Em novo atentado, registrado pela Hutukara Associação Yanomami, invasores a bordo de quatro barcos aterrorizaram a comunidade de Maikohipi, na região de Palimiú, alvo de agressões desde 10 de maio
Projeto que ameaça Parque do Iguaçu e Unidades de Conservação de todo país pode ser votado na Câmara
Proposta coloca em risco segundo parque mais visitado do país, Patrimônio Natural da Humanidade, e áreas protegidas de uso sustentável
POLÍTICA AMBIENTAL
Brasileiros não confiam no governo federal para proteger a Amazônia
Os entrevistados confiam mais nas ONGs e nos povos Indígenas para proteger a Amazônia. A maioria dos brasileiros acha que as ações de combate às queimadas na Amazônia devem partir do governo federal e são essenciais para evitar novos recordes este ano. Ao mesmo tempo, o nível de confiança no mesmo governo para tomar as medidas necessárias está em baixa. É o que indica pesquisa realizada pela Ipec (Inteligência em Pesquisa e Consultoria), entre fevereiro e março de 2021, a pedido do IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia). Para 68% dos entrevistados, medidas de fiscalização, aplicação de multas e combate às atividades ilegais são primordiais para conter as queimadas nos próximos meses, quando se consolida a estação seca na região. A ausência dos dois primeiros fatores – falta de fiscalização e ausência de multas – são apontados como os maiores impeditivos para resolver problemas ambientais no Brasil
Ipam, 09/06
GARIMPO
Garimpeiros armam emboscada e atiram contra indígenas em região alvo de ataques na Terra Yanomami, diz Conselho
Invasores estavam às margens do rio Uraricoera e atacaram a tiros indígenas da comunidade Walomapi na tarde desta terça-feira (8), informou o Condisi-Y. Não há informações sobre feridos. O relato das lideranças locais foi divulgado nessa quarta-feira (9), pelo Conselho de Saúde Indígena Yanomami e Ye'kuanna (Condisi-YY). Conforme o Condisi-YY, os indígenas retornavam de uma caçada, quando foram recebidos a tiros pelos garimpeiros às margens do rio Uraricoera. Eles precisaram mergulhar na água para fugir do ataque
G1, 09/06
COVID -19
Após recomendação do MPF, ribeirinhos de Montanha Mangabal, em Itaituba (PA), recebem vacinas contra covid-19
Os ribeirinhos da comunidade Montanha Mangabal, em Itaituba, no Pará, finalmente receberam as primeiras doses da vacina contra a covid-19 nos dias 5 e 6 de junho. Os moradores estavam enfrentando um surto da doença, não possuem acesso a postos de saúde e tinham sido esquecidos pela campanha de vacinação municipal. Denunciaram a situação ao Ministério Público Federal (MPF), que recomendou a imediata vacinação dos maiores de 60 anos da localidade, assim como todos os integrantes que façam parte de grupos prioritários já atendidos na área urbana.
MPF, 09/06
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
Povos indígenas começam a sentir os efeitos da mudança do clima
A alta na temperatura, uma das consequências do desmatamento, tem alterado o funcionamento da floresta amazônica e a vida dos povos que fazem do bioma a sua morada, especialmente a dos indígenas. O assunto foi o foco do episódio de estreia do segundo ciclo do Amazoniar, transmitido na última semana. Segundo a presidente do Comitê Regional do IMC (Instituto de Mudanças Climáticas) e GCF (Comitê Regional para Parcerias com Povos Indígenas e Outras Populações Tradicionais), Francisca Arara, uma das convidadas do evento, os povos indígenas já sentem no dia a dia os efeitos das mudanças climáticas. “Temos visto alagações inesperadas, que levam toda a plantação, pragas que acabam com a roça, além do aumento da temperatura, que afeta a produção e faz com que os animais desapareçam”, explica Arara.
Ipam, 09/06
POVOS INDÍGENAS
Funai nega pedido de investigação de indígenas sobre atraso no Linhão
A Fundação Nacional do Índio (Funai) negou que solicitou pedido de abertura de inquérito contra indígenas da etnia Waimiri Atroari, sobre suposto envolvimento no atraso da obra do Linhão de Tucuruí. A Funai se pronunciou em nota nesta terça-feira, 08, após a informação de que o delegado da Polícia Federal Marcelo Xavier, acionou a PF contra um líder indígena Parwe Atroari, duas organizações indígenas waimiri-atroari, nove servidores da própria Funai e advogados dos indígenas. Sobre o caso, a Funai ressaltou que não foi solicitada abertura de inquérito contra indígenas da etnia, mas sim em face daqueles que poderiam causar entraves e atrasos ao processo
FolhaBV, 09/06
Número de familias indígenas afetadas por invasões quadruplica sob governo Bolsonaro
Em 2020, 71% das famílias vítimas de invasões de terras e grilagem foram de povos originários, aponta relatório
Brasil de Fato, 10/06
DESMATAMENTO
Desmatamento na bacia do Rio Xingu dispara sob governo Bolsonaro
Uma área três vezes maior que o município de São Paulo foi destruída por madeireiros, grileiros e garimpeiros ilegais entre os anos de 2018 e 2020 na bacia que abrange territórios dos estados de Pará e Mato Grosso. O corredor verde de reservas indígenas e unidades de conservação corre o risco de ser cortado ao meio, com grileiros avançando por ambos os lados em municípios com altos níveis de desmatamento. Especialistas ouvidos pela Mongabay dizem que o aumento da destruição reflete um sentimento generalizado de impunidade na região, alimentado pela retórica anti-indígena do presidente Jair Bolsonaro. “O aumento do desmatamento dentro dessas áreas protegidas reflete claramente a expectativa de que elas possam ser reduzidas ou revertidas [em áreas destinadas a atividades econômicas]”, diz Biviany Rojas, coordenadora do programa Xingu do Instituto Socioambiental (ISA)
Mongabay, 10/06
UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
Tribunal de Justiça de Rondônia declara inconstitucional extinção de 11 UCs
Em sessão realizada nesta terça-feira (08), o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia declarou ilegal os decretos que extinguiram 11 unidades de conservação do estado. Os juízes e desembargadores acolheram, em maioria, o entendimento da Ação Direta de Inconstitucionalidade sobre a lei nº 4.228, de 2017, e outros onze decretos legislativos que estabeleciam as extinções. A novela jurídica, entretanto, não acaba por aí, porque existe uma outra lei promulgada pelos deputados que repete a extinção dessas UCs, e contra a qual também há uma ação de inconstitucionalidade, porém ainda com o julgamento pendente
OECO, 09/06
Operação descobre prejuízo de R$ 80 milhões em danos ambientais em parque estadual de RO
Foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (9) a Operação Bico Fechado, para combater a ocupação, comércio e a exploração ilegal de recursos naturais no Parque Estadual Guajará-Mirim e na área denominada "Bico do Parque", que é Zona de Amortecimento da unidade de conservação. As investigações começaram em setembro de 2020, após a identificação de uma organização criminosa articulada para invadir, de forma ilegal, a área denominada "Bico do Parque". Até o momento, foram calculados que os danos ambientais passam dos R$ 80 milhões
G1 RO, 09/06
ESTRADAS
Projeto de rodovia deixa em risco outra área intocada da Amazônia
No Acre, propostas para conectar ‘municípios isolados’ a estradas principais tendem a avançar desmatamento já em alta para regiões intactas do bioma; após o Alto Juruá, o Alto Purus é o alvo de políticos
OECO, 09/06
POPULAÇÕES TRADICIONAIS
Influência de povos tradicionais na Amazônia reúne especialistas em debate virtual
A contribuição de povos tradicionais como indígenas e quilombolas para a formação cultural, econômica e social na Amazônia será tema de debate pela internet nos dias 15, 16 e 17 deste mês de junho. O debate reunirá especialistas no IV Seminário Internacional sobre Povos Tradicionais, Fronteiras e Geopolítica na América Latina – Uma Proposta para a Amazônia. O evento é iniciativa do Laboratório de Estudos Panamazônicos, Práticas de Pesquisa e Intervenção Social do Departamento de Antropologia da Ufam (Universidade Federal do Amazonas)
Amazonas Atual, 10/06
POLÍTICA
Deputadas querem que Câmara aprove moção de repúdio a Sérgio Camargo
As deputadas federais Benedita da Silva (PT-RJ) e Erika Kokay (PT-DF) querem que a Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprove uma moção de repúdio ao presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, por ofensas e ataques que ele fez aos membros da comissão e ao parlamento. As parlamentares apresentaram um requerimento na terça, 8. Na segunda, 7, Camargo se recusou a participar de audiência pública mediada por Benedita que tinha como tema a crise institucional da fundação. “Não me sento à mesa para dialogar com pretos racistas!”, escreveu Camargo no Twitter. “Crise institucional = cortei a mamata da negrada vitimista e artistas queridinhos da militância”. Por Mônica Bergamo (Folhapress)
Amazonas Atual, 09/06; FSP, 09/06
Outras Noticias
A demarcação de terras indígenas e o marco temporal
PRF apreende 17,5 m³ de madeira transportada de forma ilegal, em Ulianópolis (PA)
Quando o STF finge que manda, governo finge que obedece
Em viagem aos EUA para debater 5G, Flávio Bolsonaro anuncia aporte do BID para preservação ambiental
A Amazônia segundo Lúcio Flávio Pinto: Juiz federal acusa juiz federal
Com corte de orçamento, Inpe deve desligar até agosto supercomputador que faz previsão de estiagem
MP responsabiliza desmatador por emissão de gases estuda no AM
Juíza mantém despejo de camponeses em Rondônia
UE prevê adotar taxa de carbono sobre vários produtos a partir de 2023
STF julga ação sobre áreas de desmate
Em Uberaba (MG), produtor de carvão vegetal é condenado por crime de trabalho escravo
Confira as edições anteriores
Junte-se ao ISA
Clique aqui e saiba mais!
Siga-nos
ISA - Instituto Socioambiental · www.socioambiental.org
Cancelar recebimento · Sobre o ISA · Banco de notícias · Acervo · Contato