As notícias mais relevantes desta quarta-feira para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
Se você não consegue ler esta mensagem, acesse https://manchetes.socioambiental.org/ para visualizar em seu navegador
23/04/2019 | Ano 19
As notícias mais relevantes desta quarta-feira para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
DIRETO DO ISA
O recado dos #PovosDaFloresta
ISA completa 25 anos e lança a campanha #PovosDaFloresta para ampliar o apoio aos índios, quilombolas, ribeirinhos e extrativistas que resistem aos ataques contra seus direitos e à destruição de seus territórios
Yanomami e Ye´kwana solicitam que Exército volte a combater garimpo em seu território
Em meio a epidemia, lideranças se reúnem com Comandante da 1ª Brigada de Infantaria da Selva, e pedem volta da fiscalização permanente na Terra Indígena Yanomami.Durante a audiência, as lideranças informaram que o garimpo ilegal nunca esteve em situação tão alarmante desde a demarcação da Terra Indígena, em maio de 1992. No início do ano, o Exército abandonou as bases de fiscalização permanente na área, o que fez a invasão se intensificar
POVOS INDÍGENAS
Com críticas a Bolsonaro, indígenas fazem ato em Brasília
O ATL (Acampamento Terra Livre) dá início a sua 15ª edição nesta 3ª feira (23.abr.2019), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. O evento é realizado desde 2004 e tem este ano marcado pela forte animosidade com o governo federal. A manifestação é organizada pela Apib (Associação dos Povos Indígenas do Brasil). Em nota, o grupo orienta que além do evento principal em Brasília, membros de outros Estados façam mobilizações locais. Eles esperam mais de 3.000 indígenas na manifestação
Poder 360, 23/04.
“Não negociaremos um milímetro de nossas terras”, afirma Conselho Indígena de Roraima
Em carta, Conselho Indígena de Roraima (CIR) repudia declarações sobre povos indígenas e as terras de Roraima feitas pelo presidente Jair Bolsonaro
Cimi, 22/04.
Sonia Guajajara participa de ‘Fórum sobre Questões Indígenas’ promovido pela ONU, em Nova York
De hoje a 3 de maio, mais de mil lideranças de povos indígenas de todo o mundo estarão reunidos na sede da ONU para participar da oitava edição do Fórum Permanente sobre Questões Indígenas promovido pela instituição. A brasileira Sonia Guajajara será uma das vozes da América Latina, e disse que vai falar principalmente sobre os riscos que o governo Bolsonaro representa para os indígenas brasileiros
Conexão Planeta, 22/04.
O governo Bolsonaro vai dialogar com os povos indígenas?
Os Waimiri Atroari colocaram o governo Bolsonaro numa encruzilhada. Chamaram para o diálogo e para o cumprimento da lei. Estenderam um convite para dialogar de modo franco e honesto, que atende suas formas de tomar decisões e de se representar politicamente, além de atender normas nacionais e internacionais. Agora esperam que o governo brasileiro seja capaz de respondê-los. Por enquanto o governo declarou que a construção da linha de transmissão de energia é essencial para a segurança nacional e que a obra deverá começar no futuro próximo. Os próximos passos do governo serão emblemáticos do rumo que tomará a política indigenista: se o cumprimento da lei e o respeito aos direitos indígenas prevalecerão, norteando as ações do Estado, ou a truculência será imposta, em um novo ciclo de violência contra os povos originários do país
RCA, 20/04.
Encontro de Pajés no Xingu promove fortalecimento dos cuidadores tradicionais
No início deste mês, pajés, rezadores, raizeiros e parteiras participaram de um encontro com agentes de saúde na aldeia Ipavu-Kamayurá, na Terra Indígena Parque do Xingu-MT. Durante os dias 5 a 8 de abril, o evento, que contou com a participação de diversos povos indígenas e parceiros, promoveu o compartilhamento de informações entre cuidadores, acordos entre pajés e agentes de saúde indígena e o fortalecimento do papel social, político e cultural dos pajés
Funai, 23/04.
TERRAS INDÍGENAS
Família Safra obteve 50 mil hectares em região Xavante durante a ditadura, em 1967
A família do homem mais rico do Brasil, Joseph Safra, obteve, em 1967, 50 mil hectares de terras na Bacia do Araguaia, no Mato Grosso, em região de ocupação tradicional do povo Xavante. Na época o banco Safra era pilotado por Joseph, Moise (falecido em 2014) e Edmond Safra (falecido em 1999). O grupo cria gado e planta soja no município de Água Boa. Atividade pecuária dos banqueiros no Vale do Araguaia teve subsídio da Sudam; em nome de Joseph Safra, uma das empresas do grupo no Mato Grosso possui hoje 21 mil cabeças de gado e planta soja no município de Água Boa
De Olho nos Ruralistas, 22/04.
TURISMO INDÍGENA
Da Amazônia a São Paulo, povos indígenas reforçam autonomia por meio do etnoturismo
Acesso à rica pluralidade de modos de vida e às belezas naturais das regiões mais conservadas do país é um dos benefícios usufruídos pelos turistas que escolhem as terras indígenas como destino de suas viagens. Para além das indescritíveis experiências proporcionadas ao visitante, o etnoturismo carrega consigo o fortalecimento das tradições, a autonomia das comunidades, bem como a proteção do território e do meio ambiente, constituindo-se como atividade de geração de renda cujo lucro em muito ultrapassa o valor monetário
Funai, 22/04.
UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
“Desfaça tudo essas reservas”, diz produtora a secretário em reunião de fazendeiros do Pará com governo federal
Em encontro fechado no Ministério da Agricultura, ruralistas do Pará cobram do governo Bolsonaro – apoiado por eles desde a campanha – medidas contra política ambiental, e mesmo ilegais, como fim da fiscalização e revogações de UCs. Ao fim de sua fala, Nelci Rodrigues, presidente da Associação de Produtores Rurais Vale do Garça, vocalizou outro pensamento comum entre os produtores rurais: a argumentação de que as leis ambientais os empurravam para a ilegalidade. “Desfaça tudo essas reservas que a maldita Marina Silva fez”, exigiu, referindo-se à ex-ministra do Meio Ambiente, que estava à frente do Ministério do Meio Ambiente quando da criação das UCs
A Pública, 22/04.
POLÍTICA SOCIOAMBIENTAL
Ibama deixa de arrecadar até R$ 20 bi em multas por demora na digitalização de processos
Enquanto o governo brasileiro anuncia medidas para transformar multas ambientais em ações de recuperação e preservação do meio ambiente, o Ibama tem um problema bem mais prosaico a resolver: a paralisação no despacho de pilhas de papel que impede a cobrança de até R$ 20,8 bilhões em multas que o órgão tem a receber. Auditoria da CGU (Controladoria Geral da União) encontrou 96,4 mil processos parados no principal órgão de fiscalização ambiental do país à espera de digitalização. O valor total das multas em papel equivale a 13 vezes o orçamento anual do Ibama, de cerca de R$ 1,5 bilhão
BBC, 19/04.
Conselhos sociais sobre indígenas, LGBTs e população de rua estão na mira de Bolsonaro
Decreto extingue colegiados sociais sob o argumento de redução de gastos. Decisão reduz participação popular no Governo e põe em risco políticas para minorias, avaliam pesquisadores
El País, 22/04.
Brigadeiro comandará a Secretaria de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente
Sem comando desde a troca de governo, a Secretaria de Biodiversidade (SBio), uma das mais importantes pastas do Ministério do Meio Ambiente, será ocupada pelo brigadeiro Eduardo Serra Negra Camerini, médico da Aeronáutica. O anúncio foi feito pelo ministro Ricardo Salles na segunda-feira (22) em sua conta no Twitter
O Eco, 23/04.
Outras Noticias
Comissão analisa medida provisória de regularização ambiental
Povos tradicionais e suas práticas agrícolas são tema de evento
Chamada Pública para projeto de educação voltado a indígenas vai destinar R$ 500 mil para instituição selecionada
Manifestação mostra força e resistência do povo Mura
Campanha revê representação indígena na mídia
Frente Parlamentar vai destacar Semiárido no PPA
Editada portaria que transfere licenciamento do Ibama para estados e municípios
A escolha de Salles para o ICMBio e o lança-chamas de Bolsonaro
Bolsonaro aposta na privatização dos serviços de saneamento básico; entenda os riscos
Dossiê e livro sobre degradação da região amazônica serão lançados nesta quinta (25)
Eles não se rendem à mercadoria
Combinação de agrotóxicos encurta a vida e modifica comportamento de abelhas
Confira as edições anteriores
Junte-se ao ISA
Clique aqui e saiba mais!
Siga-nos
ISA - Instituto Socioambiental · www.socioambiental.org
Cancelar recebimento · Sobre o ISA · Banco de notícias · Acervo · Contato