As notícias mais relevantes desta quinta-feira para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
Se você não consegue ler esta mensagem, acesse https://manchetes.socioambiental.org/ para visualizar em seu navegador
22/04/2021 | Ano 21
As notícias mais relevantes desta quinta-feira para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
DIRETO DO ISA
Deputados de Rondônia retiram proteção de mais de 200 mil hectares de florestas públicas
O ISA e outras organizações de Rondônia e do Brasil repudiam projeto de lei que reduz grandes extensões de duas Unidades de Conservação do Estado, liberando a área para invasores e grileiros
Cartas ao Biden
Márcio Santilli analisa pressões e tensões que antecederam a Cúpula do Clima, convocada pelo presidente dos EUA para acontecer hoje e amanhã. Artigo publicado originalmente no site do Mídia Ninja (22/4/2021)
Lilo, o poeta das luzes
O ISA lamenta profundamente o falecimento do fotojornalista Lilo Clareto, amigo e parceiro de trabalho, mais uma vítima do avanço descontrolado da pandemia da Covid-19 no Brasil.
São Gabriel da Cachoeira (AM), cidade mais indígena do Brasil, inaugura usina de oxigênio
Estrutura é fruto de aliança entre lideranças indígenas e instituições parceiras dos povos do Rio Negro no enfrentamento à Covid-19 na região, severamente afetada pela pandemia
POVOS INDÍGENAS
Às vésperas da Cúpula do Clima, postagem de Salles ridiculariza indígenas
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, ridicularizou, em uma postagem na rede social Instagram na manhã desta terça-feira (20), indígenas que utilizam telefones celulares. No "story" da conta do ministro, que é seguida por 344 mil perfis, foram divulgadas três fotos de indígenas utilizando ou carregando telefones celulares. A primeira imagem tem como texto: "Recebemos a visita da tribo do iPhone". As fotos têm círculos vermelhos para destacar os telefones nas mãos dos indígenas. Após a publicação da informação pela coluna, a única parlamentar indígena do Congresso, a deputada federal Joênia Wapichana (Rede-RR), pediu espaço, em sessão virtual na Câmara dos Deputados no início da noite desta terça-feira (20), para repudiar a "chacota" do ministro. Por Rubens Valente
UOL, 20/04.
Vandria Borari, indígena com celular citada por Salles, responde ao racismo do ministro
Indígena Borari da aldeia de Alter do Chão, no município de Santarém, Vandria, avalia que, embora não surpreendam, as publicações do ministro denunciam seu “total despreparo para o cargo que ocupa”. “A utilização dos meios de comunicação e tecnologia é justamente o meio que temos para desarmar todas as mentiras e preconceitos que recaem sobre nós, povos indígenas, além de todos os crimes ambientais que esse governo pratica em nossas terras”, afirma a Borari de 38 anos. Para Vandria, existe uma necessidade crescente de contrapor o próprio uso que o governo faz das tecnologias de comunicação e das redes sociais: — Esse governo manipula os meios para colocar o povo contra o povo, então precisamos nos apropriar desses mecanismos para ter nosso direito constitucional de liberdade de expressão
De Olho nos Ruralistas, 21/04.
Reinauguração da Casa do Saber da Foirn reforça importância do espaço para a luta e cultura indígenas do Rio Negro
A cobertura da palha de caranã, os esteios de madeira, os grafismos, a engenharia indígena: esses são alguns dos elementos da Casa do Saber – Maloca da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), em São Gabriel da Cachoeira (AM), reinaugurada na segunda-feira, 19 de Abril, Dia dos Povos Indígenas, após ficar fechada desde setembro de 2020 para reformas. Presidente da Foirn, Marivelton Baré relembrou momentos importantes do movimento indígena, reforçando a importância da Casa do Saber como espaço dos povos tradicionais, sua luta e resistência, proteção e cultura.
Foirn, 19/04.
COVID -19
Vacinas para quilombolas são desviadas no sudeste do Piauí
Defensoria Pública aponta que 1.400 doses, que deveriam ir para comunidades no Território Quilombola Lagoas, não chegaram à população, prioritária no programa de imunização; pesquisador da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) vê negligência da Secretaria de Saúde. Há suspeitas de que pessoas que não vivem no território foram vacinadas. A Secretaria de Saúde do Estado do Piauí (Sesapi) informou que iria resolver o problema encaminhando as doses para as comunidades que ainda não foram imunizadas
De Olho nos Ruralistas, 20/04.
TERRA INDÍGENA DO XINGU
Terra Indígena do Xingu completa 60 anos cercada pelo avanço do desmatamento
A primeira grande área indígena reconhecida pelo governo brasileiro completa este mês 60 anos: o Parque do Xingu. São 2,8 milhões de hectares que abrigam 16 povos indígenas de diferentes idiomas. A demarcação foi feita na década de 60 no governo Jânio Quadros depois de uma longa campanha da qual participaram o antropólogo Darcy Ribeiro e os irmãos indigenistas Cláudio, Orlando e Leonardo Vilas Boas. O indigenista André Vilas Boas, que há 40 anos trabalha com povos do Xingu, diz que o Parque Nacional, hoje Terra Indígena, enfrentou resistência. Seis décadas depois da demarcação, uma ameaça tira o sono dos povos do Xingu, o desmatamento no entorno da terra indígena. Estudos mostram que a Bacia do Xingu já perdeu 32% da vegetação nativa. O Instituto Centro de Vida, uma ONG ambiental, fez uma animação com base nos dados do MapBiomas. Ela revela como desde 1984 o desmatamento avança em direção à terra indígena
G1, Jornal Nacional, 21/04.
Destruição do Xingu avança com Bolsonaro
A informação não fará parte das comunicações do governo brasileiro durante a reunião preparatória da conferência do Clima, convocada pelo presidente dos EUA Joe Biden para acontecer nesta quinta e sexta nos Estados Unidos. Não é boa credencial para quem quer captar dinheiro de fundos internacionais e fazer de conta que não trabalha para passar a boiada e o trator na floresta. Levantamento feito nos últimos três anos mostra que durante o governo Bolsonaro o desmatamento, a mineração ilegal, a grilagem de terras e os impactos de obras de infraestrutura estão atingindo mais intensamente os territórios indígenas e destruindo o chamado "escudo verde" do Xingu, que protege a Amazônia do processo de desertificação e sustenta o regime de chuvas. É um dos epicentros do desmatamento no Brasil. Por Mara Gama
UOL/Ecoa, 22/04.
GARIMPO
Grupo pró-garimpo rouba associação de mulheres indígenas no Pará e MPF pede reforço urgente na segurança
O Ministério Público Federal (MPF) requisitou na terça-feira (20) à Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup) e à Polícia Militar que providenciem reforço policial urgente em Jacareacanga, no sudoeste do estado. O pedido foi feito após grupo favorável à mineração em terras indígenas ter novamente atacado mulheres de associação indígena contrária ao crime. O novo ataque ocorreu no domingo, no porto do município. Garimpeiros e representantes de uma minoria indígena aliciada por garimpeiros roubaram mais de 830 litros de combustível e um motor de barco pertencentes à Associação das Mulheres Munduruku Wakoborũn. No fim de março, a sede da associação tinha sido destruída por representantes do mesmo grupo pró-garimpo
MPF, 20/04.
TERRAS INDÍGENAS
PF deflagra operação para combater invasões de terras e ameaças a povos indígenas em RO
Foi deflagrada nesta terça-feira (20) a operação "Caraíba" pela Polícia Federal. O objetivo foi localizar um suspeito de invadir terras da União, perturbar costumes e tradições culturais indígenas. Ação aconteceu no interior da TI Igarapé Lourdes, nas proximidades da aldeia do povo Gavião. As investigações começaram a partir de uma carta assinada por 21 indígenas e encaminhada à Polícia Federal. A TI faz parte do estado de Rondônia, mais precisamente na região de Ji-Paraná, banhado pelo rio Machado e próximo à divisa com o Mato Grosso. Segundo o Instituto Socioambiental (ISA) a área é habitada pelo povo Ikolen, indígenas isolados na Serra da Previdência e Karo
G1/RO, 20/04.
UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
ALE-RO aprova projeto de lei que altera limites de reserva extrativista e parque estadual
A Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO) aprovou na terça-feira (20) o Projeto de Lei Complementar (PLC 080) que altera os limites da Reserva Extrativista Jaci-Paraná e do Parque Estadual de Guajará-Mirim. Em contrapartida propõe criar seis Unidades de Conservação. O projeto foi aprovado em duas votações realizadas no mesmo dia. Na prática, a aprovação é vista como uma "legalização" de pessoas que décadas atrás invadiram terras públicas. Ambientalistas explicam que o principal problema desse projeto é "premiar grileiros invasores de terras". Alteração afeta a Reserva Extrativista Jaci-Paraná que é a 2ª mais desmatada da Amazônia Legal, e o Parque Estadual de Guajará-Mirim, próximo da Terra Indígena Karipuna, 9ª desmatada do país
G1/RO, 21/04.
EXTRAÇÃO ILEGAL DE MADEIRA
Salles favorecia madeireiros de forma 'muito explícita', diz ex-chefe da PF
Ex-superintendente da Polícia Federal no Amazonas, o delegado Alexandre Saraiva reforçou as acusações feitas ao STF (Supremo Tribunal Federal) contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, por suposta obstrução de investigação ambiental, advocacia administrativa e organização criminosa. Segundo Saraiva, Salles favoreceu madeireiros "de forma muito explícita", e denunciá-lo não era apenas uma opção, e sim obrigação. O delegado foi afastado do cargo no último dia 15, um dia após enviar a ação contra o ministro ao Supremo. A troca foi oficializada nesta terça (20) pelo governo federal, e a Superintendência da PF no Amazonas agora ficará sob o comando do delegado Leandro Almada da Costa
UOL, 21/04.
Criador de galos e defensor de rinhas, Telmário Mota quer desarmar fiscais do Ibama
Senador de Roraima foi, ao lado de Ricardo Salles, alvo de notícia-crime da PF por interferir em investigação contra madeireiros; ele já foi acusado de manter rinha de galos, comprar votos em comunidade indígena e desviar verbas para combate à pandemia
De Olho nos Ruralistas, 20/04.
POLÍTICA CLIMÁTICA
Por que política ambiental de Bolsonaro afasta ajuda financeira internacional?
Pressionado globalmente a reduzir o desmatamento da Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro adotou uma estratégia de contra-ataque para participar nesta quinta-feira (22/04) da Cúpula de Líderes sobre o clima: cobrar dos países ricos apoio financeiro para a preservação ambiental no Brasil. Para o governo brasileiro, as nações desenvolvidas, sendo as maiores responsáveis pela emissão de carbono e o aquecimento global, têm obrigação de contribuir com a proteção da floresta e a viabilização de iniciativas de desenvolvimento que gerem renda para a população da Amazônia. No entanto, após dois anos de gestão Bolsonaro, com avanço constante da destruição da floresta, os países ricos não estão dispostos a assinar um "cheque em branco" para o governo brasileiro. A exigência é que o Brasil mostre primeiro resultados concretos de redução do desmatamento, para, num segundo momento, se discutir apoio financeiro
BBC Brasil, 21/04.
Convidada por Biden, líder brasileira diz que desmonte de políticas indígenas piorou com Bolsonaro
Convidada para participar da Cúpula de Líderes sobre o Clima, Sinéia do Vale, gestora ambiental do Conselho Indígena de Roraima, disse à Folha que o desmonte de políticas voltadas para as comunidades indígenas no Brasil piorou durante o governo Jair Bolsonaro. Ela, que será a única brasileira além do presidente a participar do evento internacional, queixa-se da redução de espaços de participação e de interlocução que os indígenas têm junto ao governo. "Enquanto comunidade, enquanto movimento indígena, nós não paramos. Continuamos fazendo o trabalho, nós estamos criando o espaço para que a gente possa ter nossa voz sempre em evidência", diz.
Yahoo.com, 21/04.; FSP, 21/04, Mundo.
POLÍTICA AMBIENTAL
Ibama orienta fiscais usarem instrução que foi revogada por Salles
O Ibama orientou seus servidores a desconsiderar, em alguns trechos, uma instrução normativa publicada no último dia 12 e a continuar usando a instrução anterior, de 2020, que, no entanto, foi revogada pelo mesmo ato conjunto assinado pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e pelos presidentes do Ibama e do ICMBio. As orientações contraditórias expõem o estado de confusão e paralisia instalado no órgão depois que o governo alterou o sistema de aplicação de multas ambientais. Desde o dia 12, há a necessidade de uma "autoridade hierarquicamente superior" determinar a abertura de um processo sancionador contra infratores ambientais. Por Rubens Valente
UOL, 21/04.
POLÍTICA
Interferência na PF, pandemia, 'passar a boiada': o que fez governo Bolsonaro em um ano desde reunião ministerial
Há cerca de um ano, uma crise era desencadeada no governo Bolsonaro com a divulgação do vídeo de uma reunião interministerial que o ex-ministro Sergio Moro dizia ser a prova de interferência do presidente na Polícia Federal. Ficaram marcadas especialmente a fala do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que disse que era preciso aproveitar a pandemia para "passar a boiada" e a do então ministro da Educação, Abraham Weintraub, que disse que, por ele, "botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF". A BBC News Brasil fez um balanço dos acontecimentos em setores mencionados e mostra no que deram as falas e projetos revelados pelo vídeo
BBC Brasil, 20/04.
Outras Noticias
Acordo de Escazú é ignorado no Brasil, mas avança na América Latina
Com Bolsonaro e Salles, Brasil chega desmoralizado à Cúpula do Clima
Parlamentares e sociedade civil pedem a Estados Unidos e Europa que cobrem Bolsonaro em negociação ambiental
O que é a Cúpula de Líderes, na qual Biden deve pressionar Bolsonaro contra desmatamento na Amazônia
Greta Thunberg, a 'pirralha', diz que Bolsonaro fracassou na pandemia
Ricardo Salles: 13 fatos que fazem do ministro uma ameaça ao meio ambiente global
#AbrilIndígena: mesa de diálogo realiza evento virtual para discutir alimentação em escolas indígenas e tradicionais
Indígenas Warao em Belém (PA) lançam versão em vídeo do protocolo de consulta prévia, livre e informada
Além de Bolsonaro, Biden inclui líder indígena em agenda da Cúpula do Clima
Dez medidas contra o desmatamento que só dependem do presidente
A necessária preservação da Amazônia
Confira as edições anteriores
Junte-se ao ISA
Clique aqui e saiba mais!
Siga-nos
ISA - Instituto Socioambiental · www.socioambiental.org
Cancelar recebimento · Sobre o ISA · Banco de notícias · Acervo · Contato