As notícias mais relevantes desta quinta-feira para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
Se você não consegue ler esta mensagem, acesse https://manchetes.socioambiental.org/ para visualizar em seu navegador
22/11/2021 | Ano 21
As notícias mais relevantes desta quinta-feira para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
DIRETO DO ISA
A boiada avança sobre os dois últimos indígenas Piripkura
Imagens inéditas revelam como fazendas de gado, com pistas de pouso e estradas, estão tomando a Terra Indígena Piripkura e destruindo a floresta que é a casa de Baita e Tamandua
YANOMAMI
Yanomami: Funai proíbe equipe da Fiocruz de prestar assistência em reserva indígena
Após reportagem do Fantástico gerar repercussão sobre o caso, lideranças indígenas denunciam o que consideram mais um descaso
g1, 22/11, Fantástico.
POVOS ISOLADOS
Ameaça aos Piripkura: uma das populações que mais sofrem com a derrubada da floresta são os indígenas isolados
Esta semana, o governo federal divulgou os números do desmatamento na Amazônia Legal – um novo recorde, com um aumento de 22%. Uma das populações que mais sofrem com a derrubada da floresta é a dos indígenas isolados, como os Piripkura, em Mato Grosso. As terras onde eles vivem estão cada vez mais ameaçadas pelo avanço de grileiros e fazendeiros. O primeiro contato com os Piripkura aconteceu em 1984, um ano depois, a Funai passou a monitorar a área para demarcação das terras, mas o processo não avançou
g1, 22/11, Fantástico.
VIOLÊNCIA CONTRA INDÍGENAS
Invasões, incêndios e ameaças de morte: indígenas vivem onda de ataques após COP26
Lideranças dos povos originários tiveram destaque na cúpula climática em Glasgow, onde países ricos prometeram um fundo direcionado a eles. De volta ao Brasil, já longe dos holofotes internacionais, realidade se impõe com violência
El País, 19/11.
Indígenas presos pela PM acusam policiais de atuarem como jagunços no Maranhão
Com a demora do governo para demarcar o território Akroá Gamella, no Maranhão, a região foi palco de mais um episódio de violência nesta semana. Na quinta-feira (18), 16 indígenas foram presos após impedir funcionários da empresa Equatorial Energia de instalarem linhas de transmissão na área. A comunidade acusa a polícia de truculência e reclama da omissão do governo estadual. ‘Eles iam jogando no camburão quem encontravam na frente’; comunidade Akroá Gamella denuncia truculência policial enquanto organizações criticam governador por omissão diante de recrudescimento da violência no campo
Repórter Brasil, 19/11.
POVOS INDÍGENAS
Fala de Moro reafirma um discípulo da política anti-indígena de Bolsonaro
O ex-juiz federal Sergio Moro (Podemos) faz um esforço para se distanciar do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na sua pretensão de ocupar a Presidência. O problema é conseguir esconder as suas afinidades, que são inúmeras. No tema da política indígena, por exemplo, não há dissonância. A fala de Moro é quase uma cópia da de Bolsonaro. É o que se vê no final da conversa com Pedro Bial em seu programa na TV Globo na última quarta-feira (16). No pinga-fogo, o apresentador quis saber do ex-juiz: "Mineração e exploração econômica de terras indígenas, a favor ou contra?". Por Rubens Valente
UOL, 21/11.
DESMATAMENTO
Terras públicas invadidas somam 28% do desmatamento de 13 mil km² na Amazônia, aponta Ipam
Terras públicas que deveriam ser preservadas e protegidas pelo governo federal tiveram 3,7 mil km² de área desmatada entre agosto de 2020 e julho de 2021. Isso representa 28% de todo o desmate ocorrido criminosamente no período, de acordo com análise do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) obtida com exclusividade pelo g1. Ao todo, entre todas as categorias nas quais as áreas da Amazônia podem ser classificadas, as "florestas públicas não destinadas" foram as que mais perderam árvores no total de 13 mil km² de desmate apontados pelo relatório anual do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes)
g1, 21/11, Meio Ambiente.
POLÍTICA AMBIENTAL
Desmate recorde da Amazônia invalida maquiagem do governo e já pauta presidenciáveis
Enquanto o governo Bolsonaro tenta um recuo retórico em seus discursos internacionais, presidenciáveis como Lula, Eduardo Leite e João Doria aproveitam as agendas no exterior para marcar posição sobre a pauta que deve condicionar o apoio internacional à recuperação econômica brasileira nos próximos anos: o compromisso com a conservação da Amazônia. O recado tem sido dado ao governo de Jair Bolsonaro de forma bastante contundente pela União Europeia e, mais recentemente, também pelos Estados Unidos e pela China. Os três maiores parceiros comerciais do Brasil estão decididos a compatibilizar a cooperação econômica e também as importações às suas metas de redução de emissões de gases-estufa. Por Ana Carolina Amaral
Yahoo.com, 19/11.;FSP, 19/11, Ambiente.
'O ecocídio vai ser o genocídio do século 21'
A pesca industrial que leva à perda de várias espécies, os derramamentos de óleo, a pecuária intensiva que causa desmatamento em áreas como a Amazônia e a poluição por plástico nos oceanos são alguns dos exemplos de atos que causam graves danos ambientais. Diante desta situação, cientistas, acadêmicos e líderes ambientais de diversos países alertam sobre a necessidade de transformar o ecocídio em um crime internacional que penaliza a destruição generalizada do mundo natural. Por isso, um grupo de especialistas renomados está trabalhando para que o Estatuto de Roma, do Tribunal Penal Internacional (TPI), seja modificado e inclua o ecocídio entre seus crimes
BBC Brasil, 21/11.
ENERGIA
Privatização da Eletrobras pode aumentar desmatamento e emissões no Brasil
Estimativas apontam que as emissões de gases-estufa do setor elétrico crescerão 33% se “jabutis” de parlamentares forem aprovados junto à desestatização da empresa, que responde por quase um terço da energia no país
InfoAmazonia, 18/11.
UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
Lei que reduziu 219 mil hectares de florestas protegidas em Rondônia vai a julgamento
O Tribunal de Justiça de Rondônia julga na próxima segunda-feira, 22, uma ação contra a lei que alterou os limites de unidades de conservação no Estado e reduziu as áreas protegidas em 219 mil hectares de florestas, um território maior que o do município de São Paulo, que tem 150 mil hectares. Organizações ambientais alertam que, ao retirar as áreas das unidades protegidas, o governo de Rondônia deixa essas regiões ainda mais vulneráveis a todo tipo de atuação, como o desmatamento ilegal e a regularização de terras ilegalmente ocupadas
Terra, 19/11.;OESP, 19/11, Sustentabilidade.
LICENCIAMENTO AMBIENTAL
“Licenciamento ambiental sem transparência não adianta nada”, diz consultor jurídico
Oito das 27 unidades da federação (estados e Distrito Federal) não enviam dados para o Portal Nacional de Licenciamento Ambiental (PNLA). A plataforma foi criada em 2005 para sistematizar e divulgar informações referentes a processos de licenciamento ambiental no território nacional, já que são feitos de forma descentralizada por órgãos federais, estaduais e distritais responsáveis pela gestão ambiental no país. O PNLA é uma das formas de atender à Lei de Transparência Ambiental e viabilizar o fortalecimento da gestão pública a partir do controle social. Para Maurício Guetta, consultor jurídico do Instituto Socioambiental (ISA), a autodeclaração do próprio empreendedor com concessão automática da licença ambiental, sem qualquer avaliação prévia do órgão ambiental, representa um sério risco para o processo de licenciamento no Brasil
Fiquem Sabendo, 19/11.
TRABALHO ESCRAVO
Três adolescentes são resgatadas da escravidão em casa de farinha no Piauí
Três adolescentes foram resgatadas de condições análogas às de escravo em uma casa de farinha em Marcolândia, no Piauí, em operação que terminou na quarta (17). Elas descascavam a mandioca para ser processada, atividade relacionada na Lista das Piores Formas de Trabalho Infantil. A ação ocorre no momento em que a Câmara dos Deputados discute a redução da idade mínima permitida para o trabalho
Repórter Brasil, 19/11.
Outras Noticias
‘Precisamos de intervenção imediata’, diz liderança Yanomami sobre indígenas afetados por surto de malária
Casas de reza indígenas são incendiadas em cenas de intolerância religiosa e disputa de terra
O Assunto #583: Amazônia – a marcha batida da destruição
A Amazônia segundo Lúcio Flávio Pinto - O fogo que só Bolsonaro não vê
A Amazônia segundo Lúcio Flávio Pinto – A fogueira amazônica
Racismo ambiental escancara ainda mais as desigualdades
Indígenas Kayapó ocupam sede da Funai em Mato Grosso
MST denuncia expulsão de famílias em assentamento por Madeireira em Roraima
Ambientalistas têm planos para a transição verde do Brasil, e procuram candidatos para levá-los adiante
Sumiço da água do aquífero Urucuia, fonte do São Francisco, intriga cientistas
Alerta de desertificação da Amazônia é 'mesma xaropada de sempre', diz Bolsonaro
Pressão financeira da Europa contra desmatamento deve aumentar, diz eurodeputado
Terra arrasada
Confira as edições anteriores
Junte-se ao ISA
Clique aqui e saiba mais!
Siga-nos
ISA - Instituto Socioambiental · www.socioambiental.org
Cancelar recebimento · Sobre o ISA · Banco de notícias · Acervo · Contato