As notícias mais relevantes desta sábado para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
Se você não consegue ler esta mensagem, acesse https://manchetes.socioambiental.org/ para visualizar em seu navegador
02/06/2021 | Ano 21
As notícias mais relevantes desta sábado para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
DIRETO DO ISA
Desmatamento na Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, com presença de isolados, tem aumento de 140%
Boletim Sirad Isolados detectou aumento de 77% no desmatamento dos territórios monitorados, em comparação ao mesmo período no ano passado
Ataque a base do ICMBio expõe avanço do garimpo em Roraima, diz organização Yanomami
A Hutukara Associação Yanomami salientou em nota que a Estação Ecológica de Maracá, onde aconteceu o atentado, é vizinha à Terra Indígena Yanomami e vem sendo usada como rota de abastecimento de garimpeiros ilegais
Na Semana do Meio Ambiente, Câmara quer votar urgência de projeto que ameaça Parque do Iguaçu
Às vésperas do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, a Câmara dos Deputados pautou, para esta quarta-feira (2), a votação em plenário do regime de urgência de um projeto que pretende cortar ao meio a última grande reserva da Mata Atlântica do interior do país, o Parque Nacional do Iguaçu, no oeste do Paraná. Proposta de estrada abre caminho à caça, desmatamento, contrabando e tráfico de drogas. Área é último remanescente de Mata Atlântica do interior e da onça pintada no Sul do país
Garimpo na Terra Indígena Munduruku cresce 363% em 2 anos, aponta levantamento do ISA
Mesmo com o alto índice de invasão garimpeira no território, Operação Mundurukânia, da Polícia Federal, foi encerrada e garimpo voltou a operar livremente
Cheia histórica no rio Negro põe em risco segurança alimentar de comunidades
Intensidade e persistência da estação chuvosa na Amazônia refletem impactos das mudanças climáticas na região; 16,6 mil famílias amazonenses sofreram perdas agrícolas
POVOS INDÍGENAS
Carta aberta em apoio ao povo Munduruku em Jacareacanga-PA
Nós, lideranças indígenas, representantes de organizações da sociedade civil e da comunidade científica, apresentamos nesta carta o nosso repúdio aos ataques sofridos pelas indígenas Munduruku de Jacareacanga (sudoeste do Pará), no dia 26 de maio deste ano. Declaramos também nosso expresso apoio às operações de combate à exploração mineral realizada ilegalmente no interior das terras Munduruku, e às investigações dos responsáveis por esses crimes ambientais. Já é de amplo conhecimento que esses responsáveis são empresários com amplo poder econômico, e além de praticarem um sistemático aliciamento de indígenas, financiam a ofensiva contra os Munduruku. Cinco desses empresários tiveram, inclusive, prisão decretada dias antes do ataque aos indígenas
APIB, 01/06.
Dois sites para você conhecer os povos indígenas
O primeiro é o Instituto Socioambiental (ISA), uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público para propor soluções de forma integrada a questões sociais e ambientais com foco central na defesa de bens e direitos sociais, coletivos e difusos relativos ao meio ambiente, ao patrimônio cultural, aos direitos humanos e dos povos. E o Indígenas IBGE foi criado no dia 19 de abril de 2012 para destacar a estatística populacional dos povos indígenas. É possível encontrar os antigos censos de 1991 e 2000, e o mais atual, o de 2010. Em ambos os sites, ISA ou IBGE, não há um povo sequer nominado "balaio" O acesso aos dois sites com a lista dos mais de 300 povos indígenas é vital para que o apagamento das organizações políticas, sociais e culturais indígena, cesse. E para que possamos coletivamente ir contra a prática secular de ocultamento de nossos nomes próprios, nossas organizações e nossas culturas. Por Julie Dorrico
UOL/Ecoa, 02/06.
TERRAS INDÍGENAS
Barroso determina que PF adote medidas para garantir segurança em terra indígena no Pará
O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a Polícia Federal adote imediatamente todas as medidas necessárias para garantir a vida e segurança de todos que se encontram na Terra Indígena Munduruku, em Jacareacanga (PA), e em suas imediações. Segundo o ministro, a PF terá que ampliar a força na área ou, se for necessário, deslocar efetivos para a região. Barroso ainda deu prazo de 48 horas para que a Polícia Federal no Pará preste informações sobre a operação realizada na Terra Indígena Munduruku. A PF terá que esclarecer a situação do local, o número de policiais que permaneceu na área durante a ação e as medidas adotadas para assegurar a proteção das comunidades indígenas
G1, 01/06, Política.
ICMBIO
Garimpeiros invadem UC em Roraima atrás de fiscais do ICMBio; brigadistas foram mantidos reféns
A unidade é vizinha da Terra Indígena Yanomami e as duas áreas estão separadas pelo rio Uraricoera. É na terra dos povos Yanomami, Ye’kwana e os Isolados da Serra da Estrutura, Isolados do Amajari, Isolados do Auaris/Fronteira, Isolados do Baixo Rio Cauaburis, Isolados Parawa u, Isolados Surucucu/Kataroa que os garimpeiros invadiram e fazem a extração ilegal de ouro. O garimpo ilegal é um problema antigo na região, mas escalou nos últimos dois anos, ao ponto de colocar a área indígena como a mais pressionada da Amazônia ano passado. Em 2020, a TI Yanomami registrou 72 ocorrências de desmatamento e um total de 4,4 quilômetros quadrados de área desmatada, de acordo com o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon
O Eco, 01/06.
Dias após ataque de Bolsonaro, base do ICMBio é assaltada em Roraima
Uma base do ICMBio em Roraima foi tomada de assalto neste fim de semana por homens armados. Os criminosos levaram material de garimpo recém-apreendido e patrimônio do órgão ambiental federal, incluindo quadriciclos e motores de popa. O ataque ocorre dias depois de o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ter atacado diretamente o órgão. Em live na quinta-feira (27), disse: “Fico do lado do pessoal que não é muito chegado no ICMBio, para deixar bem claro”.
Yahoo.com, 01/06.;FSP, 01/06, Ambiente.
CRIMES AMBIENTAIS
Assessor especial de Salles atuou por interesse de empresários no Ibama
O inquérito sobre as suspeitas de irregularidade no Ministério do Meio Ambiente revela mais uma interferência de um dos principais auxiliares do ministro Ricardo Salles no setor de autuação de infrações do Ibama (Instituto Nacional do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). A situação envolve uma empresa do interior de São Paulo alvo de sanções ambientais nos últimos anos. Após a ação da Polícia Federal, a Folha mostrou a existência nos autos de uma troca de mensagens de WhatsApp em que o assessor especial Leopoldo Butkiewicz intervém junto ao Ibama em favor de um empreendimento agropecuário de Mato Grosso. De acordo com o material em poder dos investigadores, esse caso não foi o único
Yahoo.com, 29/05.;FSP, 29/05, Ambiente.
Assessor de Salles alvo de operação da PF deixa o Ministério do Meio Ambiente
O governo federal exonerou do cargo, a pedido, Leopoldo Penteado Butkiewicz, assessor especial do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A exoneração foi publicada no "Diário Oficial da União" (DOU) desta quarta-feira (2) e é assinada pelo ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos. Butkiewicz está entre os investigados na operação Akuanda, da Polícia Federal (PF), que apurou a exportação ilegal de madeira. Na terça, Butkiewicz e mais seis investigados na operação haviam sido afastados do cargo por 90 dias. O ministro Ricardo Salles também foi um dos alvos da operação, mas permanece no cargo. Na segunda-feira (31) a PGR enviou ao STF um pedido de abertura de inquérito para investigar o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A relatora do caso será a ministra Cármen Lúcia
G1, 02/06, Política.
QUEIMADAS
Amazônia tem aumento de 40,6% nos focos de calor em maio em relação ao mesmo mês no ano anterior
A Amazônia teve o registro de 1.186 focos de calor, em maio de 2021, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (Inpe). Segundo o Greenpeace, os registros representam um aumento de 40,6% em relação ao mesmo mês do ano passado. De acordo com o Greenpeace, somado com a região do Cerrado, o número de focos registrados entre os dois biomas é de 3.815 pontos de calor. Este registro representa um aumento de 65% em relação ao verificado nos dois biomas ano passado e é o pior índice desde 2007
G1/AM, 01/06.
CAVERNAS
No Ano Internacional das Cavernas e do Carste, as cavernas do Brasil estão em alto risco
2021 foi escolhido como o Ano Internacional das Cavernas e do Carste (AICC), com o objetivo de celebrar e chamar a atenção para estes habitats espetaculares que frequentemente passam despercebidos pela maior parte da população. No caso do Brasil, o AICC também é uma oportunidade para alertar a sociedade para os crescentes riscos experimentados pelas cavernas brasileiras. O Brasil é internacionalmente conhecido pela sua impressionante biodiversidade. Mas há ainda outro patrimônio natural pelo qual o Brasil deveria ser reconhecido: suas cavernas. Sendo um país de dimensões continentais, e com uma rica história geológica, estima-se que o Brasil abrigue cerca de 310.000 cavernas – algumas delas entre as mais espetaculares do mundo. Por Enrico Bernard, Rodrigo Lopes Ferreira e et all
Mongabay, 01/06.
AQUECIMENTO GLOBAL
Aquecimento global causa 37% das mortes por calor no mundo
Um estudo inédito mostrou que mais de um terço das mortes relacionadas ao calor no mundo foram resultado direto das mudanças climáticas causadas pelos seres humanos. O trabalho, publicado nesta segunda-feira na revista Nature Climate Change, reuniu o maior banco de dados até o momento sobre clima e saúde e conseguiu separar os impactos do aquecimento relacionado às atividades humanas daqueles decorrentes de variações naturais. A pesquisa foi realizada por mais de 70 cientistas e reuniu dados de centenas de locais em 43 países entre os anos de 1991 e 2018. Um de seus autores é o médico Paulo Saldiva, da Faculdade de Medicina da USP. Segundo os pesquisadores, nesse período uma média de 37% das mortes relacionadas ao calor em estações quentes foram impulsionadas pelo aquecimento global antropogênico
Observatório do Clima, 31/05.
SEGURANÇA ALIMENTAR
Em meio à exportação recorde de alimentos, seca e pandemia agravam fome no campo
O campo brasileiro vive uma contradição: o país é o segundo maior exportador de alimentos do mundo, segundo a OMC (Organização Mundial do Comércio), mas três em cada quatro domicílios localizados em áreas rurais (75,2%) estavam em situação de insegurança alimentar entre agosto e dezembro de 2020, conforme estudo da Universidade Livre de Berlim publicado em abril. A insegurança alimentar abrange desde a alimentação de má qualidade, passando pela instabilidade no acesso a alimentos, até a fome. Segundo o levantamento, o percentual de insegurança alimentar no campo supera o das cidades (55,7%) e do Brasil como um todo (59,4%). Os moradores de áreas rurais também estão mais sujeitos à insegurança alimentar grave, quando a escassez de alimentos chega às crianças da família e a fome passa a ser uma experiência do cotidiano
BBC Brasil, 02/06.
CONFLITOS AGRÁRIOS
Bolsonaro consolida Amazônia como foco de violência agrária no Brasil, aponta CPT
Indígenas, quilombolas e camponeses são alvos da violência ligada a territórios e acesso à água; o número de casos de conflitos é recorde na história, com mais de 70% na região amazônica; cresce a presença do próprio Estado como agressor direto
De Olho nos Ruralistas, 01/06.
TRABALHO ESCRAVO
Trabalho escravo: criança destaque na escola é resgatada em condição degradante com a mãe
Com escolas fechadas, cozinheira mãe de dois filhos perdeu emprego e acabou aceitando uma proposta ‘de trabalho’ que foi considerado análogo ao escravo em fazenda de pecuária em Novo Progresso (PA). Sem água, sem banheiro, sem cama. Um barraco de lona cercado de mato, sem qualquer proteção contra cobras e animais selvagens. Quando chovia, o chão de terra era alagado pelo córrego que passava logo atrás. Para matar a sede, era preciso pegar água de uma cisterna – imprópria para o consumo humano. De acordo com levantamento dos fiscais, a propriedade rural chamada de Fazenda Casa Verde não era registrada oficialmente, podendo ser uma área que estava sendo cercada de maneira ilegal [grilada] para venda e atividades agropecuárias. Segundo a investigação, a fazenda encontrava-se em uma área embargada pelo Ibama
Repórter Brasil, 01/06.
TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO
O lobby político dos megaempreendimentos contaminou o Estado brasileiro e mantém a indústria da seca
Apesar de o Ministério de Desenvolvimento Regional - MDR ter anunciado recentemente 1,2 bilhão de reais para a realização de obras de infraestrutura no Rio Grande do Norte, estado de origem do atual ministro Rogério Marinho, "os projetos expostos com grande publicidade" não apresentam "novidades em termos de obras concretas" que solucionem os problemas perpetuados pela indústria da seca há décadas, diz João Abner Guimarães Júnior em entrevista ao Instituto Humanitas Unisinos - IHU. Ao contrário, argumenta, megaempreendimentos, como o da Transposição do Rio São Francisco, condicionam parte considerável das políticas na área do semiárido. O lobby político em torno dessas obras, assegura, "contaminou o Estado brasileiro ainda no governo Itamar Franco e vem se replicando e se fortalecendo em todos os seguintes governos federais, até o presente momento, no governo Bolsonaro, com a sua última cepa que chegou com a presença de Rogério Marinho no MDR".
IHU On-Line, 01/06.
Outras Noticias
Primeiro jornalista indígena de MT morre de Covid-19
Presidente da Fundação Palmares revoga proteção ambiental dos quilombos brasileiros
Vacinação avançada no Xingu reduz mortes de indígenas por covid-19
O Desmatamento da Amazônia Brasileira: 25 – Forneça alternativas
Desmatamento causado por mineração ilegal na Amazônia aumenta 90%
‘O Amanhã é Agora’: festival conecta arte, natureza, ciência e saberes ancestrais da Amazônia, de 2 a 5 de junho
Base de dados do DNIT prevê expansão da BR-364 dentro de unidade de conservação
Fórum Permanente de Sustentabilidade/Terceiro Encontro
A natureza como sujeito de direitos
Pepitas de ouro e de sangue
A cadeia de valor do negócio de impacto social
Duas historinhas indígenas
Confira as edições anteriores
Junte-se ao ISA
Clique aqui e saiba mais!
Siga-nos
ISA - Instituto Socioambiental · www.socioambiental.org
Cancelar recebimento · Sobre o ISA · Banco de notícias · Acervo · Contato