As notícias mais relevantes desta quinta-feira para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
Se você não consegue ler esta mensagem, acesse https://manchetes.socioambiental.org/ para visualizar em seu navegador
27/07/2020 | Ano 20
As notícias mais relevantes desta quinta-feira para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
DIRETO DO ISA
Linha do tempo: Salles abre a porteira e desmatamento avança na pandemia
Resgatamos quais foram as principais medidas de desmonte ambiental do ministro do Meio Ambiente, a "boiada do Salles"; o resultado é a floresta no chão
Maurício Ye'kwana assume campanha: pressão só acaba quando garimpeiros forem retirados
Novo porta-voz da #ForaGarimpoForaCovid é injeção de ânimo na reta final da mobilização, que pede a desintrusão de 20 mil garimpeiros da Terra Indígena Yanomami
COVID -19
Profissionais de saúde levam a Haia denúncia contra Bolsonaro por genocídio e crime contra a humanidade
Uma nova denúncia foi levada neste domingo (26) ao Tribunal Penal Internacional de Haia na tentativa de responsabilizar o presidente Jair Bolsonaro por ignorar orientações técnicas nas ações relacionadas à pandemia do coronavírus no Brasil. Dessa vez, uma coalizão de mais de 60 sindicatos e movimentos sociais ―a maioria deles de profissionais de saúde, sob a liderança da Rede Sindical UniSaúde― pede a condenação do presidente por genocídio. Na denúncia, argumenta-se que o presidente praticou crime contra a humanidade tanto por incentivar ações que aumentam o risco de proliferação do vírus quanto ao se recusar a implementar políticas de proteção para minorias
El País, 26/07.
Casos e mortes de Covid-19 entre indígenas no AM são maiores que números divulgados pelo governo, diz ONG
Os registros de casos e mortes de indígenas em decorrência do novo coronavírus no Amazonas são maiores do que os divulgados pelo Ministério da Saúde, segundo a Articulação de Povos Indígenas do Brasil (Apib). A diferença entre os registros dos dois órgãos é de 560 casos, com 120 mortes a mais, levando em conta os dados divulgados até a quinta-feira (23). O número de indígenas confirmados com o novo coronavírus, segundo o Ministério da Saúde, é de 2.450, com 63 mortos. Já para a Articulação de Povos Indígenas do Brasil (Apib), os dados são maiores: 3.010 casos confirmados e 183 mortos
G1/AM, 25/07.
'Isso não é gente': os áudios com ataques a indígenas na pandemia que se tornaram alvos do MPF
Áudios e mensagens de texto com ataques a indígenas do município de General Carneiro, no interior de Mato Grosso, se tornaram alvos do Ministério Público Federal (MPF). Os comentários ofensivos foram compartilhados nas últimas semanas em um grupo de WhatsApp destinado aos moradores da cidade. Nos áudios e nas mensagens de texto, os indígenas são apontados por alguns moradores como os principais responsáveis por propagar a covid-19 no município mato-grossense. Os comentários ofensivos começaram, principalmente, após os moradores notarem que a maioria dos casos de covid-19 na cidade, até o momento, tinham sido registrados nas aldeias da região
BBC Brasil, 27/07.
Com um médico para 32 aldeias, campanha busca doações para atender mais de 100 indígenas com Covid-19 em MT
Mais de 100 indígenas foram diagnosticados com Covid-19 após um encontro religioso realizado na etnia Zoró, em Rondolândia, a 1.600 km de Cuiabá, no fim do mês de junho. A região conta apenas com um médico, uma enfermeira e um motorista. A etnia é formada por cerca de 700 índios espalhados em 32 aldeias. Devido à falta de estrutura e assistência médica, a Associação do Povo Indígena Zoró lançou uma campanha para buscar doações em dinheiro para comprar insumos e equipamentos para atender os povos da região
G1/MT, 24/07.
Esquecidos pelo Estado: organização e solidariedade garantem alimentos, máscaras e informação a indígenas em Minas, Bahia e Espírito Santo
Cinco meses após a chegada do coronavírus ao Brasil, o governo federal segue negligente ao avanço da covid-19 e ignora as orientações sanitárias. Em todo país, os povos indígenas criam formas de barrar o contágio e enfrentam mudanças drásticas no modo de vida. Multiplica-se a busca por apoio e se intensificam as denúncias contra o Estado, a Fundação Nacional do Índio (Funai) e a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) por falta de atenção e atendimento nas aldeias. Sem nenhum Plano Emergencial de atendimento aos povos frente à covid-19 por parte do governo federal, os povos se organizam para conter e monitorar a entrada do vírus nas aldeias, como as barreiras sanitárias
Cimi, 24/07.
Líder do Alto Xingu diagnosticado com Covid-19 permanece em estado gravíssimo, diz hospital
É gravíssimo o estado de saúde do líder indígena do Alto Xingu, Aritana Yawalapiti, de 71 anos, diagnosticado com Covid-19, segundo informou o hospital onde ela está internado, em Goiânia. A informação foi confirmada por meio de boletim médico divulgado na manhã deste domingo (26). Aritana está em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital da rede particular na capital. De acordo com a unidade, ele está "inconsciente (sedado), com pressão baixa e respirando com ajuda de aparelhos". Segundo um amigo da família, que não quis se identificar, o nome do hospital não será divulgado “para que sejam respeitadas as tradições culturais indígenas"
G1/GO, 26/07.
Governo federal distribuiu 100 mil unidades de cloroquina para indígenas
O governo federal distribuiu 100.500 comprimidos de cloroquina para indígenas. A informação consta de um powerpoint divulgado na sexta-feira (24) pelo ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, durante entrevista coletiva. A informação não foi destacada pelos textos oficiais nem pela imprensa. Mas está lá, na página 39 da apresentação. Os dados sobre combate à Covid-19 entre os povos indígenas foram apresentados por Elcio Franco, secretário-executivo, o número 2 do Ministério da Saúde, e por Robson Santos da Silva, o chefe da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai)
De Olho nos Ruralistas, 25/07.
POVOS INDÍGENAS
“Agora eu estou curado”, diz Raoni após tratamento de saúde em Sinop (MT)
“Agora eu estou curado”. Com essa frase o líder indígena Raoni Metuktire, de 90 anos, se despediu dos nove dias em que ficou internado em tratamento de saúde decorrente de problemas gastrointestinais e anemia. Ao receber a alta no sábado (25), o cacique Kayapó viajou da cidade, em avião do governo estadual, para sua aldeia Piaraçu, na Terra Indígena Capoto-Jarina, onde passa este domingo com seus familiares
Amazônia Real, 26/07.
DESMATAMENTO
Em carta, servidores do Ibama estimam que desmatamento na Amazônia pode crescer 28%
Em uma carta aberta, servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) disseram que o desmatamento neste ano na Amazônia pode ser 28% maior que no ano anterior. Na comparação com 2018, aumento é de 72%. A estimativa considera o intervalo entre agosto e julho na comparação com o mesmo período um ano antes. A carta, assinada por mais de 600 servidores do órgão, é dirigida ao vice-presidente Hamilton Mourão, que comanda o Conselho da Amazônia. Também foi endereçada a outras autoridades, como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli
G1, 27/07, Política.
JBS transporta gado de desmatador e contraria política de só ter fornecedor que preserva a Amazônia
Uma fazenda no Mato Grosso, multada em R$ 2,2 milhões pelo Ibama por desmatamento ilegal, teria usado os serviços de transporte da JBS para transferir gado para outra propriedade ‘ficha-limpa’, que depois abastecia os frigoríficos da empresa — prática que é conhecida como ‘triangulação do gado’. Uma investigação conjunta da Repórter Brasil, do The Bureau of Investigative Journalism e do jornal britânico The Guardian encontrou evidências de que os bovinos criados na fazenda com área embargada, onde a pecuária não é permitida, tiveram como destino outra propriedade do mesmo dono, que por sua vez vendeu gado a dois abatedouros da JBS
Repórter Brasil, 27/07.
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
De gases a vírus, o veneno que é espalhado pelo derretimento das geleiras
Em 2012, Sue Natali foi pela primeira vez a Duvanny Yar, na Sibéria. Como pesquisadora que estuda os efeitos do degelo do permafrost em decorrência das mudanças climáticas, ela já tinha visto fotos do local várias vezes. O rápido derretimento dessa camada de gelo na região havia provocado o colapso do solo – um "megadesmoronamento" –, formando uma cratera gigante no meio da tundra siberiana. Mas nada se comparava a ver o fenômeno pessoalmente. O permafrost – solo composto por terra, sedimentos e rochas (até então) permanentemente congelado – está derretendo e revelando seus segredos ocultos. Além de fósseis do Pleistoceno, o degelo está liberando grandes emissões de carbono e metano, mercúrio tóxico, vírus e bactérias causadores de doenças antigas
BBC Brasil, 26/07.
MINERAÇÃO
Mapas inéditos: 10 escolas e mais de 1,5 mil edificações estão no caminho da lama das barragens da Vale em MG
Quando as aulas forem retomadas na Escola Estadual Deniz Vale, em Nova Lima (MG), os 1.254 alunos vão voltar para suas classes sem saber que o local pode ser atingido por um rio de lama em menos de 30 minutos no caso de rompimento de uma barragem próxima, com altura e volume similares à que gerou o desastre de Brumadinho. Também não receberam treinamento a respeito do que fazer em caso de emergência. Mesmo 18 meses depois de Brumadinho, Vale e poder público não divulgam as áreas que podem ser atingidas em caso de rompimento das barragens de mineração. A Repórter Brasil teve acesso às informações e disponibiliza plataforma para consulta pública
Repórter Brasil, 25/07.
Outras Noticias
"As consequências são irreparáveis", diz indígena Terena sobre destruição do Pantanal
Nota de solidariedade Myky ao povo Rikbaktsa
Mulher Tikuna com Covid-19 morreu após ser retirada de aeronave com pane
Atuação da Força Nacional na terra indígena Apyterewa é prorrogada no Pará
O Amazonas, doador de vida, espalha a pandemia
Esperança de regularização faz com que grileiros transformem castanhais em pasto no AM
Líderes indígenas se irritam com Barroso após negativa de acesso a vídeo de reunião com Heleno
Regularização fundiária é eficaz para reduzir queimadas e desmatamento na Amazônia? Não
Regularização fundiária é eficaz para reduzir queimadas e desmatamento na Amazônia? Sim
Opinião: Não se pode mais adiar o combate ao desmatamento
A covid na Amazônia profunda
Bioeconomia na Amazônia é tema de discussão
Garimpo em Aripuanã (MT) é legalizado e 1.500 garimpeiros poderão fazer extração de ouro na região
Cargill alerta Mourão sobre a rejeição da soja brasileira por causa da Amazônia
Mourão sobre os bancos: 'só vou enfiar a faca quanto tiver boas notícias'
Crise de imagem na Amazônia é desafio para ‘vender’ ferrovia
Confira as edições anteriores
Junte-se ao ISA
Clique aqui e saiba mais!
Siga-nos
ISA - Instituto Socioambiental · www.socioambiental.org
Cancelar recebimento · Sobre o ISA · Banco de notícias · Acervo · Contato