As notícias mais relevantes desta domingo para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
Se você não consegue ler esta mensagem, acesse https://manchetes.socioambiental.org/ para visualizar em seu navegador
06/12/2018 | Ano 18
As notícias mais relevantes desta domingo para você formar sua opinião sobre a pauta socioambiental
DIRETO DO ISA
Documentário inédito 'O Amanhã é Hoje' expõe impactos das mudanças climáticas na vida de brasileiros
Com lançamento nesta quinta-feira (6/12) na Conferência de Clima da ONU, na Polônia, filme traz histórias de pessoas afetadas pelas mudanças climáticas no Brasil - e mostra que a preservação da floresta amazônica é fundamental para o futuro de todos
POVOS INDÍGENAS
A ameaça final aos indígenas brasileiros
A decisão do presidente eleito de “não ceder um centímetro de terra para os índios” e a ameaça de transferir a Fundação Nacional do Índio (Funai) do Ministério da Justiça para o Ministério da Agricultura, se consumada, configura crime contra a humanidade
Conexão Planeta, 6/12.
Apoinme entende propostas de mudanças para a Funai como jogada antidemarcação
A Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (APOINME) divulgou uma nota em repúdio às mudanças que o futuro governo Jair Bolsonaro pretende para a Fundação Nacional do Índio (Funai).
Cimi, 5/12.
PGR defende no Supremo Tribunal Federal legalidade de demarcação de terra indígena Morro dos Cavalos (SC)
Raquel Dodge se posicionou contrária a ação do estado de SC que questiona portaria garantidora da posse da área pelos povos Guarani Mbyá e Nhandéva
MPF, 5/12.
FUNAI
Funai, 51 anos: quem vai cuidar dos índios do Brasil?
Criada em 5 de dezembro de 1967, a Fundação Nacional do Índio (Funai) chega aos 51 anos com a incerteza de quem não sabe para onde ir. Acuado por posturas polêmicas do governo eleito, o órgão responsável pela proteção dos direitos dos povos indígenas deve sofrer mudanças radicais em 2019, que, na prática, poderão comprometer sua própria finalidade
Sputnik News, 5/12.
BIODIVERSIDADE
Áreas de proteção ambiental já cobrem 15% da superfície terrestre, diz ONU
Em torno de 15% da superfície continental do planeta Terra está sob medidas de conservação ambiental, o que representa mais de 20 milhões de quilômetros quadrados — ou quase duas vezes a extensão territorial do Canadá. Áreas de proteção também já cobrem mais de 7% dos oceanos — em torno de 27 milhões de km2. Os números foram divulgados em novembro pela ONU Meio Ambiente, em pesquisa que avalia o cumprimento de objetivos internacionais sobre biodiversidade
ONU BR, 4/12.
DESMATAMENTO
Desmatamento no Brasil avança até sobre unidades de conservação, diz relatório
Segundo um relatório inédito, que vai ser apresentado na Conferência do Clima, na Polônia, o desmatamento no Brasil está avançando até sobre unidades de conservação ambiental
G1, 4/12, Jornal Nacional.
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
Emissões globais de CO2 crescem e batem novo recorde
Foi uma ilusão. Poucos anos atrás, alguns pensaram que o mundo havia finalmente conseguido desvincular o crescimento econômico das emissões de dióxido de carbono (CO2), o principal gás do efeito estufa. Durante três anos, entre 2014 e 2016, as emissões globais procedentes dos combustíveis fósseis e da indústria (que representam 90% do dióxido de carbono emitido pelas atividades humanas) estancaram, enquanto o PIB mundial crescia. Aquela tendência, contudo, não se consolidou. E em 2017 as emissões voltaram a aumentar 1,6%. As projeções divulgadas na quarta-feira (4) pelos pesquisadores do Global Carbon Project parecem confirmar que a ilusão chegou ao fim: as emissões de CO2 crescerão cerca de 2,7% este ano, atingindo 37,1 gigatoneladas — um recorde na história da humanidade
El País, 5/12.
RESERVAS EXTRATIVISTAS
Sai extrativista, entra boi: a lei do mais forte em uma reserva extrativista de Rondônia
As ameaças partiram de um dos pecuaristas que invadiram a reserva estadual. O governo de Rondônia estima que haja mais de 100 mil cabeças de gado sendo criadas ilegalmente dentro da Jaci-Paraná, que já perdeu 49% da floresta, derrubada para a abertura de fazendas. Trata-se de uma ilegalidade que subverte a função da reserva extrativista, área de domínio público e definida por lei como "uma área utilizada por populações extrativistas tradicionais, cuja subsistência baseia-se no extrativismo e, em complemento, na agricultura de subsistência e criação de animais de pequeno porte", cuja intenção é "proteger os meios de vida e a cultura dessas populações, e assegurar o uso sustentável dos recursos naturais da unidade"
O Eco, 4/12.
Outras Noticias
Relatório de violência contra quilombos será lançado no MPF em João Pessoa nesta quinta (6)
Governo Bolsonaro: 54 milhões de pobres e mais cinco desafios que o presidente eleito enfrentará em 2019
Pode ser até que Funai fique no Ministério da Justiça, diz Moro
Taxa de desmatamento em unidades de conservação quase dobra em dez anos
Ministros divergem e destino da Funai vira impasse
ONGs ironizam Bolsonaro na cúpula do clima e Brasil ganha 'Fóssil do Dia'
Taxa de desmatamento em unidades de conservação quase dobra em dez anos
Para alimentar 10 bilhões em 2050, mundo tem que reduzir consumo de carne
Futura Ministra da Agricultura quer premiar ruralista que cumprir a lei
Movimentos temem que até 'like' baste para virarem terroristas no governo Bolsonaro
Questionado sobre futuro da Funai, Bolsonaro diz que Moro está sobrecarregado
Confira as edições anteriores
Junte-se ao ISA
Clique aqui e saiba mais!
Siga-nos
ISA - Instituto Socioambiental · www.socioambiental.org
Cancelar recebimento · Sobre o ISA · Banco de notícias · Acervo · Contato