Se não foi possível visualizar este boletim clique aqui.

Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Água, Amazônia, Biodiversidade, Cadastro Ambiental Rural, Desmatamento, Mineração, Mudanças Climáticas, Povos Indígenas, Ribeirinhos, Quilombolas
Ano 18
03/08/2018

 

 

Direto do ISA

 
  “Quem sou eu? Quilombo!”, gritava o plenário, de punhos levantados. Assim terminaram três dias de trabalho de quilombolas de todo o Brasil para desenhar uma política pública para a gestão territorial e ambiental de seus territórios. A oficina, realizada em Brasília (DF) entre os dias 23 e 25 de julho, reuniu mais de 60 lideranças quilombolas, que debateram um documento de diretrizes feitas por elas mesmas para esta política, ainda em fase de elaboração - Direto do ISA, 3/8.
  Entre as notícias da semana os destaques ficam para a comunidade do quilombo de Mata Cavalo, em Nossa Senhora do Livramento (MT), que luta pela posse de suas terras há 135 anos; para a Associação Doutores Sem Fronteiras que realizou mais de 3.500 atendimentos em comunidades indígenas e ribeirinhas em Rondônia; e para a queima controlada que o ICMBio vem realizando no Parque Nacional do Araguaia queimando combustível orgânico que possa causar incêndio em épocas de seca extrema - Direto do ISA, 2/8.
   
 

Biodiversidade

 
  As ariranhas (Pteronura brasiliensis) estão voltando ao Alto Rio Negro. Principais vítimas da caça por peles ao longo de mais da metade do século XX, populações remanescentes que sobreviveram nas cabeceiras, locais de acesso mais difícil para os caçadores, aumentaram nas últimas décadas e avançam para áreas onde elas já não eram vistas há muitos anos. “É uma recuperação tímida e recente”, afirma a bióloga Natália Pimenta, pesquisadora do Instituto Socioambiental (ISA) - O Eco, 1º/8.
   
 

Mudanças Climáticas

 
  Ocorreu nesta quinta-feira (2), a portas fechadas, a rodada brasileira do Diálogo Talanoa, processo coordenado pela UNFCCC (Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima) que visa estimular o nível de ambição climática de cada país e global a partir do diálogo entre governos e sociedade. O Diálogo Talanoa foi concebido como um processo aberto, participativo e transparente. Seu evento brasileiro, porém, é fechado a poucos convidados, dos quais os nomes não foram divulgados. Os critérios de seleção para os convites também são desconhecidos. A razão para esta falta de transparência não ficou clara - Observatório do Clima, 2/8.
   
 

Amazônia

 
  O consumo crescente de proteína animal, principalmente carne bovina e de aves, é um dos fatores responsáveis pelo aumento do desmatamento na Amazônia e no Cerrado, biomas severamente impactados pela criação de gado e plantação de soja. O alerta é de especialistas, que participaram nesta quarta-feira (1º) de debate referente ao Dia da Sobrecarga da Terra, no Museu do Amanhã, no Rio - Agência Brasil, 1º/8.
   
 

Água

 
  No último domingo (29/7), o sinal de alerta foi novamente aceso no sistema Cantareira, o maior conjunto de reservatórios de água de São Paulo e responsável por abastecer 7,5 milhões de pessoas todos os dias. O índice de armazenamento caiu para menos de 40% da capacidade, o pior número desde 2016 - BBC BR, 1º/8
   
 

Ribeirinhos

 
  O Ministério Público Federal em Sergipe ajuizou duas ações civis públicas em defesa das populações ribeirinhas que vivem às margens do rio São Francisco na região da Usina Hidrelétrica de Xingó. Pedem elaboração do Plano de Segurança da Usina e que população seja avisada por SMS sobre aumentos do nível do São Francisco - MPF, 2/8.
   
 

Soja

 
  Há mais de uma década, o Brasil conta com forte apoio da Holanda na construção do Corredor Norte – uma iniciativa de enorme infraestrutura com novos projetos rodoviários, ferroviários e portuários para transporte de soja e outras commodities. A rota vai do estado do Mato Grosso ao rio Tapajós, no estado do Pará, desce o rio Amazonas e segue para exportação pelo Oceano Atlântico. O governo holandês alega que esses projetos serão desenvolvidos de maneira “sustentável” e reduzirão o volume de combustíveis usados no transporte; contudo, analistas e até mesmo o próprio governo da Holanda afirmam que os novos portos, estradas e ferrovias contribuiriam de forma significativa para o desflorestamento, a grilagem e a violência rural - Mongabay 1º/8.
   
 
Imagens Socioambientais
Facebook TwitterInstagram Youtube Medium